Morar na Itália: prós, contras, custos e dicas úteis

Morar na Itália, assim como em qualquer lugar da Europa e do mundo, tem seus prós e contras.

Em Verona, a cidade do Romeu e Julieta, prestei consultoria para uma empresa e aproveitei o restante do tempo para estudar italiano e fazer novas descobertas.

Na Itália, vivi experiências incríveis ao longo de um ano, mais ou menos.

Fiz amizades sinceras, que me fizeram chorar na despedida, emagreci 8 kg (sim, emagreci na Itália), conheci lugares fantásticos (que é um imenso benefício, quando se reside em um país europeu), mas também tive dias de tristeza que não me deixaram dormir.

Piazza Erbe no inverno
Piazza Erbe, um dos principais pontos turísticos de Verona, no inverno

Os prós e contras de morar na Itália

Um banho de história, arte e arquitetura todos os dias

O país é muito bonito e cada lugar tem uma história diferente, uma arquitetura que nos envolve e algum detalhe cultural novo para descobrir.

Costumo dizer que a Itália é um problema, quando você visita pela primeira vez, pois, como o país inteiro é muito turístico e proporciona atividades completamente diferentes para fazer, a gente sempre sente aquela necessidade de retornar, em uma nova viagem à Europa.

A Itália respira arte em todos os sentidos e tem muitas, mas muitas exposições disponíveis.

Não podemos desconsiderar que o país foi o berço do Renascimento e que apresentou pintores de peso ao mundo, como Leonardo Da Vinci, Rafael, Michelangelo, Caravaggio e por aí vai.

exposição de arte na Itália
Exposição de arte no norte da Itália

Da mesma forma, a Itália tem peso na literatura, na música e no teatro. As crianças aprendem latim na escola (ao invés do inglês).

E é mais fácil um adulto se interessar pelo grego antigo do que outro idioma. Interessante, não?

Que tal conhecer a Itália primeiro, antes de planejar uma mudança definitiva ao país?

Se você não conhece bem a Itália, vale a pena planejar uma viagem curta para conhecer o país, antes de se mudar.

Com o tour de 5 dias da Civitatis, você poderá conhecer cidades icônicas italianas, como:

  • Roma
  • Veneza
  • Florença
  • Assis
  • Siena
  • Bolonha
  • Pádua
  • Montepulciano

O pacote inclui:

  • Transporte em ônibus de luxo com wifi entre as cidades visitadas
  • Guia em português
  • 4 noites de hospedagem em hotéis 4 estrelas, com café da manhã
  • 2 almoços e 2 jantares
  • Ingressos para algumas atrações

QUERO SABER MAIS SOBRE O TOUR ANTES DE ME MUDAR PARA A ITÁLIA

Pacote para a Itália
Cidade de Florença, na Itália

E as curiosidades culturais não param por aí…

O italiano ama os espetáculos lúdicos!

Sempre há peças e óperas incríveis, em anfiteatros romanos e lugares históricos.

Sempre ouvia, de manhã cedinho, uma ou outra pessoa escutando ópera no carro, quando caminhava para o trabalho.

ópera a céu aberto na Itália
Espetáculo no anfiteatro Arena di Verona, durante o verão (divulgação)

Para morar na Itália é necessário lidar com a separação diária entre o norte e sul do país

Estando na Itália, a gente sente uma barreira bastante rígida entre o norte e sul do país.

Essa linha imaginária pode ser traçada mais ou menos na cidade de Roma, que fica em uma posição central do país.

Mapa da Itália
Norte da Itália

No norte, as pessoas são menos expansivas, estão em uma situação econômica mais favorável e até fisicamente são diferentes (mais parecidas com os austríacos, alemães e suíços, em outras palavras, mais altas e com olhos e cabelos mais claros).

Já no sul, as pessoas sorriem mais e qualquer pequeno assunto vira uma conversa de horas.

Outras diferenças percebidas

Há lugares lindos no sul da Itália, mas a gente sente que, em algumas cidades, como Nápoles, por exemplo, a segurança e a limpeza deixam a desejar.

Muitas vezes tive a sensação de que, quanto mais próxima à sola da bota, maior ficavam as dificuldades dos habitantes e a pobreza.

Varais com roupas entre prédios de Nápoles
Os varais de Nápoles, comumente vistos no sul da Itália

Italianos não falam inglês

Se os italianos não fossem tão receptivos, muitos turistas ficariam na mão, porque eles só falam italiano, mesmo.

Já passei por situações que, nem no centro de informações turísticas do Aeroporto internacional de Malpensa, em Milão, falavam inglês.

Com algumas exceções de grandes empresas privadas, alguns transportes públicos, hotéis, lojas de departamento e restaurantes muito badalados, é só em italiano e na mímica, risos.

Não vá morar na Itália achando que você conseguirá um emprego rápido porque fala 5 idiomas e tem mestrado em universidade de ponta.

É necessário ter um alto nível de italiano para conseguir um emprego na sua área de formação, principalmente se for em cidades menores.

Na região do Vêneto, muita gente tem se esforçado para aprender alemão.

Em Trentino, por exemplo, que é uma cidade com alta qualidade de vida no país, só consegue emprego se falar italiano e alemão.

Até mesmo em cidades do Vêneto, como Vicenza e Veneza, tinham muitos produtos alemães em supermercados.

Gôndola e barcos em Veneza
Fim da tarde e início de noite e os canais de Veneza ainda repletos de barcos e gôndolas

Mas o italiano não é uma barreira

Apesar da necessidade de falar italiano estando na Itália, não é uma língua tão difícil de aprender, pois a sonoridade de várias palavras é parecida com o português.

Dá para compreender bem conversas entre pessoas, alguns programas de TV e até construir frases simples para se virar no dia a dia, em um ou dois meses de aula.

Além disso, aprender italiano é delicioso, porque a língua é muito cantada e é necessário abrir bem a boca para pronunciar as vogais (se diz “italiÁÁÁno”, por exemplo. E não “italiâno”).

Para você ir aprendendo o idioma, tente falar a palavra mais longa do dicionário: sovramagnificentissimamente (que significa “muito mais que magnífico”).

Italiano oficial X dialetos

Muita gente diz que na Itália ninguém fala a mesma língua, porque cada commune tem o seu dialeto.

Na verdade, depois que a Itália foi unificada, o italiano oficial passou a ser um só, que é o descendente do dialeto da Toscana.

Os idosos conversam entre si por meio de dialetos (que não dá para entender nada, por sinal), mas quase 50% da população, principalmente os mais jovens, usa mesmo o italiano oficial para se comunicar.

A televisão, as revistas, as informações na rua, tudo está escrito com o italiano oficial.

E não se preocupe com relação a isso também, pois todos sabem falar a língua oficial.

É questão de preferência e tradição regional.

Livraria na Itália
Livros e placas escritas em italiano oficial

Não existe fila

Se tem uma coisa que me irrita na Itália é a questão de não ter fila.

No mercado, se você virar para o lado para pegar alguma coisa, esquece. Já perdeu a sua vez.

Na prefeitura ou para entrar em um avião, vai formando um aglomerado de gente, tudo junto, que só se dá bem quem estiver mais para a frente.

Nessas horas, sempre acontecem pequenas brigas entre eles porque, além de tudo, são muito impacientes e falam bem alto nestes momentos.

É adorável fazer compras na Itália

Fazer compras na Itália é uma delícia, mesmo em supermercados.

Há lojas de departamentos excelentes para comprinhas do dia a dia, como Benetton, OVS e até a inglesa Primark está em várias cidades.

Sítio arqueológico no meio da loja da Benetton
Loja da Benetton com sítio arqueológico no meio

Os eletrônicos são baratos também, assim como os móveis e objetos de decoração.

Vi muitas coisas bonitas em lojas diversas, afinal, o design italiano e o bom gosto são outras fortalezas da cultura.

Dá para mobiliar uma casa rapidamente na Itália, assim como comprar um carro.

Um Alfa Romeo pequeno, por exemplo, via por preços a partir de 13 mil euros.

Mas também é importante considerar a contratação do seguro de veículo. Algo que tem um custo relacionado ao valor do veículo, mas nada extravagante também.

Somente para referência, para um carro popular, 1.4, custaria em torno de 200 – 300 euros por ano.

Mas pode ser caro morar na Itália…

Segundo o site da Numbeo, que fez a medição do custo médio de vida de 3.128 pessoas nos últimos 12 meses, em diferentes lugares da Itália, as cidades mais caras do país para viver são:

1. Milão

2. Gênova

3. Bérgamo

4. Bréscia

5. Roma

6. Parma

7. Bolonha

8. Florença

9 Trieste

10. Verona

11. Turim

12. Pádua

Sendo que o custo de vida em Pádua, na 12º posição, é aproximadamente 17% mais baixo que em Milão, na 1º posição.

O interessante é que a renda média de alguém que vive em Pádua é quase a metade da Milão.

foto de Pádua
Cidade de Pádua, na Itália

Mais sobre custo de vida

Ainda, segundo a mesma pesquisa, o salário médio mensal de um residente na Itália é de 1.439,90 euros.

O preço por metro quadrado para comprar apartamento no centro da cidade é de cerca de 3.465,42 euros. Já fora do centro, 2.034,74 euros.

Para alugar 1 quarto, no centro da cidade, custa cerca de 606,93. Um apartamento de 3 quartos, no mesmo local, cerca de 1.083,56 euros.

Fora do centro, custaria em torno de 463,73, 1 quarto ou 777,87 euros, 3 quartos.

Já sabe onde irá morar na Itália?

Nos primeiros meses, se você for à Itália para “fazer um teste” ou apenas conhecer o lugar onde pretende morar, ALUGUE UM APARTAMENTO OU CASA DE TEMPORADA, em uma plataforma que não lhe deixará sem suporte, diante de necessidade.

Use o mapa interativo abaixo para encontrar a melhor hospedagem para o seu perfil.

Basta inserir o nome da cidade, que todas opções disponíveis aparecerão por localização e preço.

Booking.com

Outros custos médios

Dia a dia
  • Gasolina (litro): 1,54 euros
  • Passe mensal: 35 euros | Passe unitário: 1,50 euros
  • Eletricidade, calefação, água e lixo para um apartamento de 85 m²: 156,27 euros, mas pode chegar a 283,33 euros, dependendo do número de pessoas
  • Internet de 60 Mbps, dados ilimitados ou cabo: 28,93 euros
  • Academia: 47,38 euros, podendo chegar a 75 euros, dependendo da cidade
  • Cinema: 8,50 euros
Mercado
  • Refeição para 1 pessoa em restaurante econômico: 15 euros
  • Cappuccino: 1,38 euros
  • Refrigerante: 2,11 euros
  • Água: 1,05 euros
  • Pão branco fresco: 1,58 euros
  • Arroz branco (1 kg): 1,96 euros
  • 12 ovos: 2,79 euros
  • Queijo regional (1 kg): 12,51 euros
  • Filé de frango (1 kg): 8,35 euros
  • Maçã (1 kg): 1,80 euros
  • Tomate (1 kg): 1,99 euros
  • Batata (1 kg): 1,23 euros
  • Garrafa de vinho (gama média): 5 euros
Cappuccino
O preço médio de um cappuccino na Itália é de 1,38 euros

*Atenção: os valores apresentados acima são “médios”. Ou seja, pode variar para mais ou para menos, dependendo da cidade e estabelecimento visitado.

Os dados também podem sofrer alterações, conforme atualizações da pesquisa Numbeo ao longo do tempo. Eles servem apenas como “referência”.

A comida é saudável e é possível emagrecer

Eu não mudei os meus hábitos alimentares na Itália. Pelo contrário, acho que piorei. Comia mais chocolates, pizzas e pastas.

Acredito que tenha perdido peso com essa dieta, porque há uma variedade de produtos orgânicos muito grande no país (até a farinha é natural).

Além disso, o preparo é quase sempre de forma artesanal.

Usam muito azeite para cozinhar (e não o óleo vegetal) e tudo é feito na hora do consumo.

bombons decorados e prontos para o consumo, na Itália
Bombons com recheio de limão siciliano

Outro fator interessante é que, assim como os italianos, fazia tudo andando, então, perdia bastante peso também.

Aliás, você sabia que a Itália é o terceiro país que com a menor taxa de obesidade do mundo?

Segundo a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), a taxa de obesos é de 9,8%, sendo que nos EUA é de 38,2%.

Mais vinho, por favor

Em vários restaurantes da Itália, se você pedir água poderá custar alguma coisa, mas o vinho da casa, talvez, seja uma cortesia.

É natural beber vinho para acompanhar uma refeição e os preços não são exorbitantes.

Além disso, cada região do país tem um tipo de vinho diferente.

Eu, particularmente, recomendo o Barolo (Piemonte), Valpolicella (Veneto) e o Chianti (Toscana).

Nem toda comida pode ser interessante experimentar

Como muitos sabem, cada região da Itália tem uma comida típica para experimentar, mas algumas podem não ser tão interessantes ou gostosas (raras exceções, mas existem).

Em Verona, onde morei, parei de consumir carne de vaca, por exemplo.

O cheiro e o gosto não eram bons e não consegui me adaptar. Até o hambúrguer comprado em supermercado não era bom.

Mas, em contrapartida, comprava frango e peixe no dia a dia, ou então ia para outras cidades italianas, então, deu tudo certo.

Uma carne apreciada em Verona, apenas a título de curiosidade, é a de cavalo e há vários açougues que são especialistas no animal.

Eu não experimentei e até fiquei chateada quando descobri o hábito alimentar, mas é algo cultural e atrelado à história para eles.

Então, apenas respeitei.

Você sabia que o seguro viagem é obrigatório na Itália e pode te ajudar bastante nos primeiros meses de mudança de país? 

Na Itália demora um certo tempo para você ter acesso ao seguro saúde, caso seja um cidadão italiano, sem o RG do país.

Primeiro precisará de uma residência fixa, depois solicitar o rg, para somente, então, ter acesso ao sistema público de saúde.

A saúde não espera em determinados momentos, por isso, faça um seguro viagem com cobertura mínima de 30 mil euros.

Assim estará amparado diante de qualquer necessidade na Itália e outros países europeus, além de não ser incomodado por autoridades.

Use o cupom de desconto ARESDOMUNDO e garanta o seguro viagem com o melhor custo-benefício para você!

Seguro Viagem: Europa
AC 35 EUROPA AC 35 EUROPA Assistência médica EUR 35.000 Bagagem extraviada EUR 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 16/dia*
AC 60 EUROPA AC 60 EUROPA Assistência médica EUR 60.000 Bagagem extraviada EUR 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 18/dia*
CORIS 30 EUROPA BASIC +COVID19 (EXCETO EUA) CORIS 30 EUROPA BASIC +COVID19 (EXCETO EUA) Assistência médica EUR 30.000 Bagagem extraviada EUR 1.000 R$ 24/dia*

Aceitação de imigrantes

No meu caso, considerando a mim apenas como pessoa, não senti preconceito.

As pessoas até me pediam informação na rua, talvez por alguma semelhança física porque, de fato, a origem da minha família é italiana.

Contudo, há uma resistência, sim, aos imigrantes.

Os africanos chegam aos montes em várias cidades da Itália, porque eles vêm de uma realidade onde a pobreza é extrema e a violência é muito grande.

Vão para os países europeus para buscar uma vida melhor (o que poderia até ser compreendido de outra forma, pois os países africanos foram colônias exploradas pelos europeus por séculos).

Também percebia certa resistência aos muçulmanos e curdos, de uma forma geral.

Até suástica (o símbolo nazista) cheguei a ver em ruas, o que me deixou chateada…

Suástica na Itália
Suástica em cartaz sobre a cultura curda na Itália, na região do Veneto

As dificuldades ao chegar na Itália

Independente de quem chegar à Itália, vai se deparar com um país com grandes problemas econômicos, em recessão e com níveis de desemprego superiores a 10%.

E a chegada dos imigrantes representa, na “cabeça do italiano”, em mais pobreza, mais competitividade por um emprego, mais gente para assessorar no sistema público de saúde (que quem paga é o italiano), enfim… Não aceitam.

Na TV local tem, quase que diariamente, notícias sobre algum africano assassinado, a máfia nigeriana que cresce (além da italiana, que é a popular) e os africanos que se rebelam.

Em muitas cidades da Itália, como em Bolonha, por exemplo, eu vi manifestações dos africanos pedindo mais respeito, anunciando a violência contra eles ou exigindo condições melhores de vida.

Faixas de protesto expostas em Bolonha, na Itália
Faixas de protesto expostas em Bolonha

Essa aceitação ao imigrante muda de uma commune para a outra, há um certo desnivelamento, no caso.

Em Verona, sentia bastante resistência e, com frequência, via africanos revirando o lixo em busca de alguma comida.

>>> Leia também! Documentos necessários para ir para a Europa. O quê vai mudar para brasileiros

Resumidamente, aprendi muito morando na Itália e foi uma experiência incrível.

Se você pretende morar no país, apenas considere que, além dos prós, há pontos negativos também e certamente você precisará lidar com eles ao logo da sua vida no país.

Mudar de país não é um “mar de rosas”, mas também não é um “martírio”…

É diferente apenas.

Você está pensando em morar na Itália?

Quais são as suas principais dúvidas sobre uma possível mudança? Deixe o seu comentário, que logo retornamos.

Também recomendo

10 passos para mudar de país sem culpa

Morar na Alemanha: curiosidades, prazeres e dificuldades

A mudança para a Nova Zelândia com filhos pequenos

Morar em Lisboa: custo de vida, vistos e documentos

Vale a pena morar na Itália?

O quê falta para a sua viagem?

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

  1. Ismael Maschio

    Muito boa sua matéria, bem completa e de fácil interpretação, gostaria somente precisar que sim, existe um imposto similar ao IPVA e que não custa pouco, é o Bollo Auto, tem que ser renovado anualmente e o valor é em base a topologia de carro que você tiver.

    • Oi Ismael, bom dia! Obrigada pelo elogio. O Bollo Auto é um imposto obrigatório? Em uma pesquisa que eu fiz quando estava na Itália me disseram que era somente necessário se fosse viajar de carro pelo país. Feliz ano novo! 🙂

      • Fernanda Brandão

        Bollo auto se paga. Se tem um paga só un bollo se você tem dois paga os dois bolos dos dois carros. Quem mora aqui paga. Se na casa tem 1 pessoa paga a taxa do lixo de uma pessoa, se na sua casa moram 4 pessoas você pagará a taxa do lixo de 4 pessoas crianças incluídas. Se você tem duas casas pagará a taxa da segunda casa e também o lixo da segunda casa.

      • E obrigada pelo esclarecimento do bollo auto. Sempre tive essa dúvida, porque não tive veículo aí. 🙂 PS. Quanto você paga de taxa do lixo em Turim para 4 pessoas?

  2. Fernanda Brandão

    Moro na Italia quase 8 anos. Não sei mais como faço tô cansada de pagar imposto e não ver fartura na minha casa. Sou casada e tenho dois filhos, moro em turin , mas tá difícil viu, nunca vi tanta coisa pra pagar na minha vida nem quando morava no Brasil não lembro de passar por tantos apuros como estou vivendo aqui. Única coisa que me faz estar agora aqui è que o dinheiro da passagem pra 4 pessoas não tenho, só trabalha meu marido e também aqui è menos perigoso do que o Brasil. Estudei aqui, deixei currículos mas sendo estrangeira mi renegam. Fiz concurso ferroviário, fiz pros correios, limpeza di casas, sou perito agrário mas ninguém me chama e se perguntam de onde sou digo que sou italiana. Viajar pra Itália como turista è ótimo uma maravilha, estar aqui só pra estudar è o céu, mas morar aqui e ter que pagar e conviver com as pessoas daqui aí è mais difícil. Só dizendo as coisas aqui parecem baratas pra quem è do Brasil ex: 1€ = 5 reais . 5 reais da pra comprar a merenda de tarde. 1€ só um pacote di pão de forma que está em promoção di 0,98 centesimi. 1€ È muito no câmbio ,mas 1€ aqui no país è pouco è como o 1 real do Brasil . Un celular no Brasil 2,000 reais aqui 600€ parece que aqui è pouco né porcausa da visual que tem dos números. Un exemplo: se eu ganho 600€ como garçonete aqui como compro um celular iPhone 11xr que custa 600? Entenderam? O mesmo sacrifício aí è aqui, só muda a visual do valor. Uma vez uma pessoa me pediu pra eu enviar a ela um iPhone 7 que tinha saído logo no início, eu disse a ela que aqui custava 1,600 o modelo que ela queria era particular, então fiz os cálculos e sairia pra ela mais di 7000
    Reais, porcausa das taxas doganais daqui e do Brasil então eu disse a ela melhor você comprar aí no Brasil que sai mais barato. E ela comprou em promoção de uma loja que tava quase 3000 reais. Então qual è mais barato? Comprar aqui pra enviar pra lá ou a pessoa comprar lá mesmo? Quem mora na Itália sabe como è o país, pessoas, economia, mas quem vê di fora sem saber ver só flores.

    • Oi Fernanda, obrigada pelo seu “desabafo”. Morar na Itália realmente tem prós e contras. Eu morei em Verona e percebia as diferenças com estrangeiros no dia a dia. Não propriamente comigo, mas com outras pessoas que eram de fora… Não acho que seja fácil conseguir emprego mesmo, principalmente se é de fora. E se não fala italiano é praticamente impossível…
      Os celulares vendidos aí com planos embutidos são mais caros, você tem razão. Mas meu primo, a passeio, quando foi me visitar, comprou um aparelho “desbloqueado” e foi realmente barato, inclusive porque pegou o tax free na volta.
      Onde você morava no Brasil?
      Espero que tudo passe para você e a familia. Boa semana!

  3. Marcio Tonoli

    Achei muito interessante seu artigo, sua forma de apresentar as situações são muito convidativas à continuar lendo. Eu morei alguns meses em Milão, foi minha primeira passagem pela Italia, isso em 2020. Eu dividia um pequeno apartamento perto da Piazza Firenze, não tive dificuldades com o idioma, é muito fácil de aprender e além disso existem vários cursos gratuitos que ajudam demais. As vezes eu era confundido com um árabe kkkkkkkk. Mandei tantos currículos, muitos mesmo, e nesses poucos meses, mesmo não falando muito bem o idioma fiz diversas entrevistas interessantes. No fim de dezembro eu voltei ao Brasil, acabei ficando com medo da pandemia e ainda não estava trabalhando fixamente, só fazendo uns bicos. Pretendo retornar à Italia no início de 2022, mas não sei se voltaria para Milano, realmente a vida ali é muito cara. Porém existe a possibilidade de morar nas cidades ao redor onde o custo de vida é mais baixo e se chega com muita facilidade ao centro.

    • Olá, Marcio. Tudo bem? Obrigada pelo elogio ao post 🙂

      Milão é uma cidade cara mesmo, mas em termos de oportunidade de trabalho não vejo lugar na Itália. A minha experiência foi no Veneto e emprego mesmo me pareceu algo muito complicado para quem não falava italiano.

      Não sei se você conheceu Bergamo, mas é uma cidade incrível bem perto de Milão. O custo de vida é um pouco mais baixo que em Milão, mas ainda assim um dos lugares mais caros para morar da Itália. Turim em outra província me parece uma boa alternativa tb. Cidade cara tb, mas mais ou menos naquela região 🙂

      Que essa pandemia passe logo e você volte para a Itália! Estou na torcida pelos seus novos planos 🙂

  4. Angelica Gasparotto

    Pra mim foi um mártirio, e só. Graças a Deus estou indo embora

    • É, tem coisa que é complicado na Itália mesmo… Mas boa mudança. Nunca é tarde para um novo recomeço em outro destino.

      🙂

  5. Débora Maria

    Ótimo texto
    Vc acha q é possível um casal viver em uma cidade média com um salário mínimo cada um?
    Voce percebeu se mesmo empregos de mão de obra não qualificada estão difíceis?

    • Oi Débora, como vai? Obrigada pelo elogio ao post! 🙂

      Se o casal tiver nível de italiano avançado e passaporte italiano, diria que há alguma chance de emprego, mas depende mto da cidade tb… Vejo cidades maiores mais receptivas para diversidade e imigrantes (ex. Milão, Roma, Florença e Bérgamo, por exemplo).

      Com um salário mínimo cada, realmente precisaria avaliar, pois o governo “come” boa parte do que se ganha com os impostos, mas talvez, morando longe do centro da cidade, seja possível. Sem muito conforto, contando dinheiro para comida e possíveis diversões. Uma vida de aperto, pela minha perspectiva, que poria na balança se vale a pena ou não.

      Sobre emprego de mão de obra não qualificada, tem. Mas a vantagem é sempre de alguém de lá, porque conhece bem as regras comerciais e legais do país, fala perfeitamente o idioma, tem as documentações todas e entende até os dialetos (se for para a área comercial, por exemplo).

      Não quero te desestimular, mas a Itália é um país complicado para imigrantes. 🙁

      Um abraço,

  6. ronaldo sartori

    muito bom teu post, um dia vou morar na italia que acho um pais magico, quem sabe daqui a uns dois anos, aonde voce esta morando atualmente?

    • Oi Ronaldo, como vai?
      Obrigada pelo elogio ao post. Morava em Verona (região do Veneto), onde estudei italiano e trabalhei em um projeto local, posteriormente voltei a São Paulo.
      A Itália é um país mágico mesmo, super apoio o seu sonho. Está pensando em se mudar para qual cidade?
      Um abraço,
      Leda

  7. Mucio Duarte

    Excelente post, diferente de muitos que vi sobre o assunto, parabéns. Minha esposa conseguiu cidadania italiana mas ainda não pegou os documentos, estamos começando a pesquisar sobre a possibilidade de mudarmos para lá. O que acha das cidades que incentivam a moradia? É verdade aquelas casas por um euro ou que pagam para você morar? Em termos de distancia daria para morar lá e trabalhar em uma cidade grande? Abraços e obrigado

    • Oi Mucio. Como vai? Obrigada pelo elogio. Tentei ser o mais realista possível sobre a minha experiência na Itália. Há muitos prós, mas contras também.
      Olha… Não vejo nenhuma cidade incentivando a entrada de gente de fora. Mas se quiser ter mais chances de se empregar, vá para Milão ou Roma. O custo de vida é mais alto, mas são mais cosmopolitas e a aceitação pode ser melhor.
      É verdade sobre as casas de 1 euro, mas são em lugares absolutamente remotos. Muitos contratos dão privilégio para casais novos (que podem apoiar no povoamento do local), que tem algum dinheiro para investir em algo interessante para a cidade e há um tempo de permanência mínimo que precisa ser respeitado ao querer uma residência. Algumas residências são históricas e inicialmente não são permitidas reformas tb.
      Não tenho certeza sobre essas residências serem próximas a grandes centros urbanos, porque se não a procura seria muito maior e se divulgam internacionalmente talvez seja porque nem os italianos as querem…
      Não sei muito sobre as casas de 1 euro, li apenas essas informações acima quando vi alguns anúncios, mas acho estranho a procura não ser grande. Vale a pena investigar mais sobre 😉
      Se puder ajuda-lo com algo mais, me escreva 🙂
      Boa semana!

  8. Jaqueline Viecelli

    Olá, ótimo artigo! Estou interessada em estudar na Itália, e tenho dupla cidadania, mas também não tenho certeza de qual cidade ficar. Precisaria de uma receptiva nos empregos com estrangeiros, como em Milão e Roma, mas com um custo de vida não tão caro.. qual poderia ser?

    • Oi Jaqueline, como vai?
      O quê você pretende estudar?
      Emprego, sem dúvida, é mais fácil em Milão. Até mesmo mais fácil que em Roma, porque tem muitas multinacionais, onde o inglês já pode ser suficiente no começo. Mas depende da sua área de atuação. Posso estar completamente enganada se vc disser que quer estudar turismo ou gastronomia, por exemplo.
      Me diga o que vc gostaria de estudar, que tento te ajudar melhor. 🙂

  9. Priscila

    Amei sua matéria! Ela é clara, explicativa e descontraída! Obrigada pelas dicas e por nos contar sua experiência! ❤❤❤

  10. Agatha

    De quando é esta matéria, por favor? Obrigada

Inscreva-se na nossa newsletter e ganhe um incrível e-book sobre turismo de luxo!