O que fazer no Rio de Janeiro: top passeios alternativos

O quê fazer no Rio de Janeiro fora do circuito tradicional de atrações turísticas?

Se você está buscando passeios ao ar livre na Cidade Maravilhosa, no Brasil, que vão além do Bondinho do Pão de Açúcar, Cristo Redentor e praias de Copacabana e Leblon, este post é para você!

Inspirada no visual sedutor do Rio, montei um pequeno guia de aventuras urbanas para experimentar o lado exótico (e um tanto interessante) do lifestyle carioca.

O que fazer no Rio de Janeiro: os melhores passeios alternativos

Veleiro para as Ilhas Cagarras

Em um veleiro particular, parti para as Ilhas Cagarras, logo que amanheceu o dia.

A poucos metros da Marina da Glória, aprendi alguns segredos sobre a arte de velejar contra o vento na Baía de Guanabara e descobri uma paisagem completamente diferente, a apenas 7 milhas náuticas de distância da costa.

O que fazer no Rio de Janeiro
Passeio de veleiro rumo às Ilhas Cagarras

Em função dos ventos e correntes do dia, o veleiro nos propiciou um bonito passeio.

Passamos por lugares icônicos do Rio, como Bondinho do Pão de Açúcar, Copacabana e Ipanema, até finalmente chegar às Ilhas Cagarras.

Montanha, veleiro em alto mar e pássaros
Natureza a poucos quilômetros da Marina da Glória

Apesar de não ter mergulhado no arquipélago, pois a água estava bastante gelada e o dia nublado, havia equipamentos disponíveis para snorking, como nadadeiras, máscaras e snorkels.

Por todo o caminho estive bem alerta para tentar avistar os moradores do mar.

Sabia que a região era frequentada por golfinhos e baleias jubartes, principalmente nas estações quentes do ano, mas já me senti satisfeita por ter visto tartarugas nadando, atobás tomando banho e gaivotas voando.

Descobri, ao longo do passeio, que também é possível fazer um tour durante o entardecer ou até mesmo ir de barco para Angra dos Reis, por menos de 300 reais.

Certamente, são outras rotas que valem a pena conhecer, pois a experiência em alto mar é muito especial.

Dica do que fazer no Rio De janeiro
Paisagens ao longo do passeio de veleiro (crédito: Sérgio, Terra Firme)

>>> Veja também! Onde ficar no Rio de Janeiro: guia de bairros e hotéis

As selvagens e quase desertas Prainha e Grumari

Prainha e Grumari são praias afastadas do centro histórico, mas garantem a privacidade àqueles que querem desfrutar de momentos de descanso junto à natureza.

A Prainha fica na Zona Oeste da cidade, entre os bairros de Grumari e Recreio dos Bandeirantes.

Placa e praia preservada ao fundo
Placa na entrada da Prainha

Como o próprio nome diz, é pequena, tem apenas 150 metros de extensão.

Além disso, é bastante limpa, já que está em uma área de proteção ambiental.

Ao visitar o local, é bem possível se deparar com alguma espécie em extinção, como aves exóticas e animais marinhos.

Eu vi um lagarto tão grande, que até achei que tivesse voltado para a época dos dinossauros, risos.

Brincadeiras à parte, tem uns animais diferentes nesta área mesmo.

Atração no Rio de Janeiro
Caminhando na Prainha, praia preservada do Rio de Janeiro

A praia de Grumari, também localizada na Zona Oeste do Rio, é bastante frequentada por surfistas, já que o mar é agitado.

Contudo, vale a pena fazer uma boa caminhada pela faixa de areia no final do dia, momento em que a baixa luz do sol deixa o mar com brilho cintilante.

Assim como na Prainha, a natureza também é preservada por autoridades e é um verdadeiro refúgio tropical, em pleno cenário urbano.

Paisagem com praia deserta e montanhas ao fundo
A extensa praia de Grumari e praticamente deserta durante a semana

A melhor forma de ir até às praias é alugando um carro, pois elas não são acessíveis de transporte público.

Já sabe onde vai se hospedar no Rio de Janeiro?

Garanta agora mesmo a sua hospedagem no Rio de Janeiro, seja em hotel, casa de temporada ou apartamento.

Busque no mapa digital abaixo o melhor lugar para dormir por localização e preço.

A plataforma garante excelentes preços e o suporte rápido, diante de qualquer necessidade.

Booking.com

Voo de Asa-delta, da Pedra Bonita

Já chega a ser considerado tradicional o voo de asa-delta, no Rio de Janeiro.

A experiência, para quem tem interesse, começa em uma rampa a 500 metros do nível do mar.

Depois do salto, a adrenalina ameniza e bonitas paisagens do Rio são retratadas.

O passeio termina com pouso na praia de São Conrado, onde é possível tomar uma bebida refrescante e avistar outras pessoas pousando.

Voo de asa-delta e praia ao fundo
Vista durante o voo de asa-delta (divulgação: Priscila Kamoi)

Passeio de jipe pela Floresta da Tijuca e Jardim Botânico

Fazer um passeio em jipe militar pela Floresta da Tijuca, com a Jeep Tour, é uma experiência para se levar para a vida!

Ao ar livre, em um jipe com motorista e guia local, o tour passa por paisagens urbanas, árvores grandiosas, pés de frutas e flores tropicais.

turista dentro do jeep, com floresta ao fundo
Passeio de jipe na Floresta da Tijuca

Entre o som dos macacos e os pássaros cantando, pequenas pausas são feitas em pontos turísticos internos, como a Vista Chinesa (onde se pode ter uma vista panorâmica da cidade) e a Cascata Visconde de Taunay (que é uma bonita cachoeira).

Água escorrendo pelas pedras em meio a floresta
A linda Cascata Visconde de Taunay

O passeio também considera uma pequena trilha pela Mata Atlântica e, para finalizar, passa pelo Jardim Botânico, que é repleto de plantas exóticas e locais pitorescos, onde até cenas de novelas são gravadas.

Casa em meio a floresta no Rio de Janeiro
Frente do Museu Casa dos Pilões, no Interior do Jardim Botânico

+++ Patrimônio da Unesco no Brasil: 22 lugares para visitar

Informações úteis sobre o passeio de jipe

  • O tour de jipe dura cerca de 4 horas
  • No veículo cabem até 8 pessoas
  • É tudo muito organizado e seguro
  • O tour custa menos de 250 reais por pessoa

Mirante da Pedra do Telégrafo

A pedra pontuda, conhecida como Pedra do Telégrafo, parece mesmo estar voltada para um altíssimo precipício e vários visitantes tiram fotos divertidas, como se estivessem correndo risco de vida.

Na verdade, a pedra não passa de uma ilusão de ótica, pois abaixo dela estão outras que suportariam alguma possível queda acidental.

Como é a Pedra do Telégrafo
A famosa foto na Pedra do Telégrafo (divulgação: Priscila Kamoi)

O mais legal, no entanto, é a vista panorâmica das praias da cidade, que vão além da Pedra da Gávea e Barra da Tijuca.

Para chegar ao mirante, é necessário fazer uma pequena trilha, de mais ou menos 35 minutos.

Se for a sua primeira vez no ponto turístico, recomendo fazer o passeio com uma empresa especializada.

Assim você não se perde e chega e volta direitinho da Pedra.

Que tal fazer um tour para Arraial do Cabo, paraíso cristalino, ou Petrópolis, as famosas montanhas cariocas, a partir da cidade do Rio de Janeiro? 

O tour privado com duração de 7 a 9 horas te levará aos principais pontos turísticos do destino escolhido.

Além de um guia especializado no local escolhido, o passeio garante transporte confortável de ida e volta ao seu hotel no Rio de Janeiro.

Não perca esta oportunidade de conhecer outros destinos encantadores do Rio de Janeiro!

QUERO SABER MAIS SOBRE O TOUR PARA ARRAIAL DO CABO OU PETRÓPOLIS

Tour de arte de rua pelo centro da cidade

Em outra circunstância falei sobre as artes de rua do Porto Maravilha, que enchem de cor e alegria o centro do Rio de Janeiro.

Mas, na verdade, os artistas estão trabalhando por toda a cidade, por isso, pode ser interessante fazer um tour guiado por um carioca.

Arte no Porto Maravilha
Artes de rua do famoso Kobra, no Porto Maravilha

A arte de rua é muitas vezes um manifesto cultural, social e artístico.

Sem sombra de dúvidas, é uma boa forma de conhecer o destino e compreender as raízes e as suas expressões.

prédio no Rio com pinturas e frases
Pintura em prédio da Tijuca

Stand up paddle para as Ilhas Tijucas

Um grupo de praticantes de stand up paddle costuma sair do Posto 2, na Barra da Tijuca, em direção ao complexo das Ilhas Tijucas, quando o tempo está firme.

Por cerca de 2 quilômetros remam até chegar ao paraíso.

Há tours guiados no local, contudo, é recomendado um nível avançado de stand up paddle no mar.

Outra opção, caso o interessado não tenha prática, mas interesse na aventura, seria subir nos pranchões com vários remadores.

Assim é possível evitar as quedas, os “micos” e o biquini fica no lugar, risos.

Praticantes de stand up paddle e o pôr do sol
A prática de stand up paddle

Também recomendo no Rio 

Onde se hospedar no Rio: 5 dicas com vistas incríveis

Castelos no Brasil para se hospedar e conhecer

Hotel Vila Santa Teresa: o hotspot carioca com vista de cartão-postal

Réveillon no Brasil: top 7 destinos, festas e hotéis

Praias de Búzios, pelo blog Deixa de Frescura

Roteiro em Paraty pelo blog Vamos Por Aí

Tour do Fluminense, pelo blog Viajar Correndo

compartilhe:
Deixe o seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários

  1. Livia Novaes

    Esse conteúdo sim é útil. Estou planejando uma viagem para
    o ano que vem e suas dicas de longe foram as melhores que
    vi até agora. Parabéns pelo site. 🙂

  2. Marinalva

    Gostei do design do site, muito bonito! Estou com passeios fechado para o Rio, vou indicar o site de vocês para eles.
    Obrigada pelas dicas!