Vinícola Concha Y Toro: porque, como chegar e ingressos

Se você estiver em Santiago, no Chile, vale a pela conhecer a vinícola Concha Y Toro.

Neste post vou te mostrar porque fazer o passeio, além da melhor forma de chegar até a vinícola, o valor do ingresso com o melhor custo-benefício e informações úteis.

Cabernet Sauvignon
Um dos rótulos mais populares da Concha Y Toro é o Cabernet Sauvignon

O que saber sobre a Concha Y Toro

  • A Concha Y Toro é uma uma produtora chilena de vinhos, fundada em 1883, por Don Melchor de Concha Y Toro.
  • Sua vinícola é a maior do Chile e a marca é uma das mais populares do país.
  • Concha Y Toro é uma das marcas mais apreciadas pelos brasileiros e outras nações latino-americanas.
  • O Brasil, por sinal, é um dos maiores compradores da marca chilena. 

Você sabia que, a melhor forma de chegar à Vinícola Concha Y Toro, a partir de Santiago, é por meio de um tour?

No tour para a Vinícola Concha y Toro está incluído:

  • Transfer de ida e volta do seu hotel em Santiago
  • Guia em português acompanhando todo o passeio
  • Degustação de vários rótulos de vinhos (maiores de 18 anos)
  • Oficina de sommelier com degustação de queijos e vinhos (passeio premium)
  • Visita á adega e à loja da Concha Y Toro
  • Taça de presente

QUERO SABER MAIS SOBRE O TOUR PARA A VINÍCOLA DA CONCHA Y TORO

Motivos para conhecer a Concha Y Toro

1) O lugar é lindo

Mesmo que você não aprecie vinhos, recomendo a visita porque o lugar é maravilhoso e fica bem perto de Santiago, a apenas 31,2 km de distância.

Em meio à natureza, na Avenida Virginia Subercaseaux 210, em Pirque, fica o casarão de veraneio da antiga família Concha Y Toro.

Na área, além de árvores e flores de diferentes tipos, tem espaços para relaxamento em áreas reservadas.

Interior da Vinícola Concha Y Toro
A Vinícola Concha Y Toro é linda por dentro!

2) Andar pelas parreiras

Saber como funciona a produção dos vinhos é algo que se leva para a vida inteira.

As parreiras da Concha Y Toro são bem espaçadas, organizadas e placas charmosas identificam os 26 tipos de uvas.

Parreiras da vinícola Concha Y Toro
Na vinícola Concha Y Toro há 26 tipos de uvas

Além de caminhar pelas parreiras ser algo agradável, dá para entender bem o processo de produção dos vinhos da Concha Y Toro, porque um guia acompanha e explica cada parte do passeio.

Folhagem nas parreiras da Concha Y Toro
Conhecendo os tipos de uvas para a produção de vinhos

Achei bem curioso compreender a utilização de roseiras para a prevenção das plantações. Lá, por exemplo, os chilenos usam esta flor na entrada do parreiral para distrair as pragas.

Como essas flores são mais frágeis que as uvas, as pragas tendem a atacá-las primeiro. Desta forma, os produtores ganham tempo para tomar as medidas necessárias.

3) Redescoberta do Carménerè

Carménerè é um grupo de uvas de Bordéus, na França. Nesta região produziam vinhos tintos encorpados até que pragas atacaram as raízes e as folhas das plantas. Elas então foram substituídas por outro tipo mais resistente.

Trazidas para o Chile por um equívoco, a uva Carménerè se adaptou muito bem ao clima e ao solo.

Franceses, ao saberem disto, logo quiserem estudar as condições da região para tentar reproduzir na França.

O país europeu, porém, não conseguiu êxito em sua empreitada e até hoje o Chile continua sendo referência neste tipo de vinho, sem concorrência direta.

4) Harmonização de queijos e vinhos Concha Y Toro

Que delícia poder experimentar os vinhos premium da casa e harmonizá-los com diferentes tipos de queijos!

Na Conha Y Toro é possível participar de uma excursão premium da marca, onde é feita uma harmonização de queijos e vinhos, para aprendermos a combinar melhor os sabores dos alimentos e bebidas.

Tábua de queijos com vinhos ao fundo
Harmonização de queijos e vinhos no Chile

Este passeio é bastante especial, porque não é algo que costuma ser oferecido de forma completa por vinícolas.

De fato, é possível conhecer bastante sobre o universo dos vinhos, além de se deliciar com a enogastronomia regional.

Como harmonizar queijos com os vinhos da marca e receber bem visitas em casa
Sauvignon Blanc

Típico aroma que incentiva a salivação. Paladar mais cítrico e com presença de pimentão.

Aperitivos com limão caem bem, assim como queijos jovens e leves. Ricota, mozzarella de búfala, mozzarella ou queijo de cabra.

Vinho branco ou tinto
Como combinar vinho branco e tinto
Chardonnay

Vinho branco que passou pelo carvalho francês, um pouco defumado. Ele incentiva menos a salivação e tem um aroma mais frutal (de frutas saborosas). Este vinho permanece mais tempo na boca.

Comidas de fácil digestão e que não dão tanto trabalho para a boca, como a japonesa, o peru e o frango harmonizam bem com o Chardonnay. Já para queijos, o emmental, camembert, gouda ou gruyère.

Merlot

Vinho tinto mais robusto, de corpo médio, que repousa cerca de 14 meses em carvalho francês.

Tem aroma presente de framboesa, morango, cereja e caramelo. Ele vem de um solo fértil que extrai tudo o que precisa.

Queijo com marmelada, marmelada de tomates ou marmelada de pimentão vermelho caem bem com este vinho.

Os queijos de casca dura, como o cheddar ou até mesmo os semiduros, como o emmental e o gouda também harmonizam bem.

Cabernet Sauvignon

Vinho tinto encorpado, que repousa cerca de 18 meses em barril de carvalho francês.

Ele tem um aroma mentolado, que lembra também o figo e a pimenta. Tanino aveludado e sabor que persiste no paladar.

Carnes vermelhas com gordura ou aquelas mais estruturadas, queijos fortes, como o grana padano ou o próprio provolone, por exemplo, permitem uma sintonia perfeita com o cabernet sauvignon.

5) Taças de cristal

Ao longo do tour tem algumas paradas para degustação de outros rótulos da casa.

Tivemos a sorte de experimentar, em primeira mão, uma safra que foi feita em pequena escala e não seria reproduzida.

Independentemente do vinho experimentado, a Concha Y Toro oferece taças de cristal para a apreciação perfeita dos vinhos.

Como é sabido, o sabor do vinho pode ser absolutamente alterado se for tomado em taças de vidro, copos do mesmo material ou de plástico.

Vinho sobre a mesa e decoração medieval ao fundo
Degustação dos melhores rótulos da Concha Y Toro em taças de cristal

6) Tour interativo

Além dos guias serem bem atenciosos, a marca Casillero del Diablo garante uma surpresinha interativa, que permite uma completa imersão ao mundo dela.

Só digo uma coisa… Dá um friozinho na barriga!

Sem mais para não estragar a surpresa.  😛

Casillero del Diablo
Surpresas da marca Casillero del Diablo durante o tour na Concha Y Toro

7) Restaurante aconchegante

O restaurante da Concha Y Toro é muito aconchegante!

Recomendo a empanada da casa na entrada e o bolo com sorvete como sobremesa. Espetaculares!

8) Loja completa e com ótimos preços

O gran finale do passeio é a loja.

Ela é grande, tem os principais vinhos da Concha Y Toro (inclusive os degustados durante o tour), acessórios e souvenirs, como chaveiros, imãs e camisetas.

Tudo com excelentes preços, inclusive, mais baratos que em vários lugares de Santiago.

Vinhos expostos em loja no Chile
Loja da Concha Y Toro

Os vinhos são bem embalados, alguns inclusive vêm em caixas de madeira ou de couro e não dão dor de cabeça nenhuma para transportá-los até o hotel (ou mesmo durante a viagem para o Brasil).

Já reservou o seu hotel em Santiago?

Encontre a melhor hospedagem para você em Santiago, seja em hotel, casa de temporada ou apartamento e conte com o suporte de uma empresa séria, sempre pronta para o atendimento, diante de qualquer necessidade.

Use o mapa digital abaixo, pois nele estão presentes todos os estabelecimentos para dormir de Santiago.

Booking.com

9) Sem pressa na Concha Y Toro

Se quiser descansar um pouco depois do tour, devido à quantidade de vinhos degustado, ou por qualquer outro motivo, é possível permanecer na vinícola até que ela feche.

Os atendentes e guias deixam os visitantes bem a vontade. Não existe aquela tratativa comercial de que depois do tour tem que ir embora e tal.

Como chegar na Vinícola Concha Y Toro

Dá para chegar na Vinícola Concha Y Toro de carro, de transporte público + táxi e por meio de um tour.

Em termos de custo-benefício, se você partir de Santiago, recomendo um tour, porque é a opção mais completa e confortável para visitantes.

O que está incluído no tour

  • Transfer de ida e volta a partir do seu hotel em Santiago
  • Guia em português e outros idiomas, se necessário
  • Degustação de vinhos (apenas para maiores de 18 anos)
  • Oficina de sommelier (para quem comprar a opção de passeio premium)
  • Visita á adega Concha Y Toro
  • Compras na loja da marca
  • Taça de presente

O tour completo dura cerca de 4 horas e custa cerca de 250 reais por pessoa.

*Apenas para referência, o ingresso avulso, se comprado na hora, custa entre 120 e 150 reais, dependendo do tipo de entrada escolhida e do valor da cotação do peso chileno (x real brasileiro).

Como é o interior da vinícola
Barris de vinho no interior da vinícola

Como chegar de carro na Vinícola Concha Y Toro

De carro, você pode chegar à vinícola por meio de 3 vias:

  • Via Autopista Central/ Ruta 5: este é o caminho mais rápido, devido à rota com menos trânsito, embora o caminho seja um pouco mais longo (38,6 km).
  • Estrada Autopista Central/ Ruta 5 + Acceso Sur: este caminho é o mais curto de todos (31,2 km), mas o trânsito faz com que a viagem demore quase 50 minutos.
  • Via Vespucio Sur Express/Ruta 70: a distância é de 33,3 km e o percurso leva cerca de 46 minutos para chegar.
Como chegar na Vinícola Concha Y Toro
Como chegar na Vinícola Concha Y Toro de carro  /Google Maps

Se você achar que pode se perder no caminho, compre um chip internacional de celular para ter acesso à internet durante a viagem e ao Google Maps, como GPS.

Caso esta seja a sua opção de transporte, você deverá pagar o ingresso na entrada, com valor de 120 a 150 reais, dependendo do tour que escolher (lembrando que o valor depende da cotação do dia do peso chileno para o real brasileiro).

De transporte público + táxi

Também é possível chegar na vinícola por meio de metrô e táxi. No caso, você precisará descer na estação Las Mercedes e, posteriormente, pegar um táxi ou Uber até a vinícola.

A meu ver, esta é a pior opção para chegar no ponto turístico, porque é bastante demorado, desconfortável e, se você não combinar o preço com o taxista antes de entrar no carro, pode custar uma fortuna.

Se você optar por estes transportes, não esqueça que também precisará pagar o ingresso na entrada da atração (preço entre 120 e 150 reais), além dos tickets de metrô e trajeto de taxi de ida e volta.

Horário de abertura

Diariamente, das 10 às 17:10h. Somente fecha em alguns feriados.

E aí? Pretende considerar o passeio à Vinícola Concha y Toro quando estiver viajando pelo Chile? Deixe o seu comentário ou as suas dúvidas, que retornamos em breve para lhe apoiar 😉  

Também recomendo no Chile

Como é o tour para Valparaíso e Viña del Mar

7 ótimos lugares para conhecer em Santiago

Arredores de Santiago: os 5 melhores passeios de 1 dia

10 dicas para comprar passagens aéreas baratas

O quê falta para a sua viagem?

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *