Como fazer o Pastel de Belém mais desejado de Lisboa

A história do Pastel de Belém surgiu na adorável Lisboa, logo depois que todos os mosteiros e conventos foram fechados em Portugal, como consequência da Revolução Liberal, em 1820. Em uma tentativa de sobrevivência na região do Mosteiro dos Jerônimos, um habitante comum começou a comercializar a iguaria.

+ 3 doces de ovos: onde comer em Lisboa e como fazer

Pessoas trabalhando na Fábrica dos Pastéis de Belém
Fábrica dos Pastéis de Belém em funcionamento na cidade de Lisboa

Do surgimento ao sucesso dos Pastéis de Belém

Mais tarde, a “fábrica dos Pastéis de Belém” começou a ser reconhecida e virou ponto importante no roteiro de viajantes a Lisboa. Hoje, a empresa vende mais de 20 mil unidades de pastéis por dia e são muito, mas muito gostosos.

Pastel de Belém em embalagem
Pastel de Belém de Lisboa

Receita secreta do Pastel de Belém

Como a receita original do Pastel de Belém é guardada a sete chaves pela fábrica, eu fiz uma pesquisa com base no paladar da iguaria para chegar a esta fórmula secreta. A meu ver, como degustadora oficial de muitas sobremesas, ficou bem parecido mesmo.

Ingredientes 

Massa

  • 1 rolo de massa folhada Arosa de 300g

* Recomendo que você compre, porque daria bastante trabalho fazer este passo manualmente e o resultado ficaria bem próximo ao manual, pelo menos a meu ver.

Porém, caso opte em fazer manualmente, será preciso: 

  • 200g de margarina derretida
  • 300g de farinha de trigo
  • água e sal a gosto

** Você precisará de forminhas de empada também, independente de como quiser fazer (com massa pronta ou feita manualmente).

Creme

  • 1 ovo
  • Gema de ovo (130g)
  • 300 ml de leite
  • Meio copo de farinha de trigo (100g)
  • 3 colheres de sopa de amido de milho (70g)

Calda  

  •  Açúcar (300g)
  •  1 copo d´água (200ml)
  •  Sal (pitada bem pequena)
  •  Casca de 1 limão
  •  Canela em pó (à vontade)

Como preparar

1- Inicie pela calda. Coloque em uma panela todos os ingredientes e mexa até dissolver todo o açúcar.

2- Após estar tudo bem misturado, leve ao fogo médio, até levantar fervura.

3- Deixe de lado a calda e inicie a produção do creme. Coloque o leite em uma vasilha e vá acrescentando a farinha e o amido de trigo, de modo que resulte em uma papa consistente.

4- Estando bem misturado, leve ao fogo médio e mexa bem até engrossar.

5- Ainda sem parar de mexer, vá juntando a calda aos poucos e continue misturando por mais uns dois minutos.

6- Desligue o fogo e deixe a mistura esfriar.

7- Quando o creme já estiver frio por completo, adicione a gema e o ovo inteiro e mexa por mais dois minutos.

8- Abra o rolo da massa folhada em uma superfície com farinha e vá cortando pequenos pedaços para forrá-las.

Se fizer da forma manual, precisará misturar a farinha, água e sal até a massa ficar consistente. Estenda a massa sobre uma superfície lisa e passe a margarina com um pincel. Feito isso, faça um rolo, como se estivesse enrolando uma panqueca. Repita o procedimento todo por mais duas vezes. Abra a massa, passe margarina e enrole. Deixe ela descansar por 15 minutos. Em seguida, siga com o corte da massa para forrar as formas de empada.

9- Ao forrar as formas, deixe sempre uma borda de massa sobrando. Você precisará dobrar toda a massa que sobra na forma, para formar aquela borda mais grossinha do Pastel de Belém. Pode dobrar para frente ou para trás, tanto faz.

10- Coloque o creme em cada uma das formas.

11- Leve ao forno em uma temperatura de 300°C por 20 minutos.

Para servir, sugiro harmonizar com vinho do Porto. A combinação fica super especial.

Também recomendamos

Bacalhau em Lisboa: 5 lugares com boa fama

Enotrip em Portugal: as melhores vinícolas

Como é o tour de um dia por Sintra, Cascais e Cabo da Roca

O que mudou no Tax Free em Portugal

Corpo Santo Lisboa: o hotel 5 estrelas com sítio arqueológico e vista para o Tejo

Morar em Lisboa: a melhor cidade da Europa

O principal de Lisboa: cultura, atrações e compras

Deixe o seu comentário

2 comentários

  1. VIM DE LÁ AGORA!
    SENTI O GOSTO DA BAUNILHA E O POLVILHADO DO AÇÚCAR COM A CANELA.