Categorias: Bérgamo Destinos Itália

Bérgamo: uma cidade encantadora bem pertinho de Milão

A apenas 50 km de Milão está a encantadora Bérgamo. Dividida em duas partes: uma alta, antiga e cheia de histórias de conquistas e a outra baixa, moderna e atrativa, fiz o meu roteiro de 3 dias ser cumprido por diferentes perspectivas.

Cidade alta (La Città Alta)

Comecei o meu passeio pela parte alta da cidade. Fiquei encantada com os muros venezianos que avistava de longe e queria saber mais sobre os tesouros preciosos que existiam dentro daquela estrutura, que servia como proteção dos inimigos no passado.

Por meio de um funicular, transporte comumente utilizado pela população para se locomover entre a parte alta e baixa da cidade, rapidamente “viajei no tempo” e cheguei à Piazza delle Scarpe. Logo dali avistei a imponente Torre del Gombito. Me lembrei que Bérgamo também é muito popular por suas torres, já que antigamente era um hábito as famílias demonstrarem o seu poder por meio destes tipos de construções.

Lá em cima da colina, toda a arquitetura das casas e prédios públicos lembrava a de Veneza, afinal Bérgamo foi liderada por ela por séculos e o bonito legado era notório. Ruas estreitas e pitorescas, que pareciam cenários perfeitos para os filmes de Roberto Benigni, deixavam ainda mais saborosa a minha degustação de Polenta e Osei (uma espécie de pão de ló com mascarpone e um enfeite de chocolate em forma de passarinho em cima).

O coração da parte antiga é a Piazza Vecchia. Local de importantes decisões no passado e onde hoje acontecem os eventos populares da cidade. Aí está a Fontana Contarini, que desde 1780 oferece água potável geladinha para os visitantes se refrescarem.

O Palazzo della Ragione (edifício do governo, tribunal, biblioteca e teatro), com uma fachada em estilo renascentista, impressiona pela sua beleza desde o século XII. Passou por um grande incêndio algumas centenas de anos atrás, mas foi restaurado. A construção me chamou a atenção por seus arcos no andar térreo. Dá até para sentir um pouco do que era aquilo tudo em tempos medievais.

De frente para o Palazzo della Ragione fica o Palazzo Nuovo. Nele está a importante Biblioteca Civica Angelo Mai.

Além destes lugares, há o Palazzo del Podestà e a Torre Cívica (ou Campanone), a mais alta da cidade. A família Suardi a construiu entre o século XI e XII e desde que ficou pronta, todos os dias, às 22 horas, os sinos tocam 100 vezes. No passado o som servia como toque de recolher para a população e também para avisar que as portas do muro veneziano seriam fechadas. Logo, ninguém mais entraria e nem sairia da estrutura. Hoje, serve apenas para demonstrar o respeito à tradição. Além de passar pela torre de dia, fiz questão de estar ali às 10 horas da noite e também subir no seu topo. A vista é lindíssima!

Bem perto de todas as atrações da Piazza Vecchia, seguindo o caminho por baixo dos arcos do Palazzo della Ragione, encontrei outra maravilhosa descoberta antiga, a Piazza del Duomo (a praça da igreja). Aí estão o Batistério, a Duomo, a magnífica basílica Santa Maria Maggiore e a capela Colleoni.

Duomo

Duomo

A Basílica Santa Maria Maggiore foi erguida com o objetivo de proteger Bérgamo contra a peste, doença que assolava a Europa no século XIV. Como a sua construção se deu em tempos diferentes, por fora ela segue um estilo romanesco e por dentro é lindamente decorada em estilo barroco.

Ali no Largo Colle Aperto vi uma pessoa tomando um sorvete tão bonito, que logo fui perguntar mais sobre a sobremesa. A pessoa me disse que era da pasticceria Marianna e que lá trabalhavam com a stracciatella como ninguém. Diante desta informação, como este é o meu sabor de gelato preferido, corri para lá!

Os atendentes me disseram que não é somente excelente, mas eles que inventaram a sobremesa. Se a história é verdadeira ou não, já procuro residência para morar ao lado da pasticceria, risos. Brincadeiras à parte, é muito bom mesmo! Acho que foi o melhor sorvete de stracciatella que já tomei.

Passei pelo Cannoniera di San Giovanni posteriormente, um sítio de escavações, contudo, não pude visitá-lo, pois o espaço só abre entre meados de Abril e Setembro. Outra descoberta cultural foi a Accademia Carrara, onde tomei um banho de arte e tive a sorte de presenciar a abertura de uma exposição de Raffaello.

Exposição de Raffaello

Cidade Baixa (La Città Bassa)

Falando na parte moderna de Bérgamo, a Cidade Baixa, um bom ponto para iniciar o passeio seria a estação de trem. Saindo daí, a caminhada pode ser feita de forma tranquila e é possível alternar as passagens aos pontos turísticos, cafés, as lojas fashionistas e artesanais de forma fácil e tranquila.

Muitas lojas de marcas bacanas estão presentes com as suas atrativas vitrines na Vialle Pappa Giovanni XXIII, Via Sant`Alessandro e Via XX Settembre. Aí nas imediações estão: Torre dei Caduti, um monumento que homenageia os combatentes italianos que faleceram na Segunda Guerra Mundial, há a Igreja Santa Maria Immacolata delle Grazie, a Piazza Pontida, uma excelente praça com cafés e bares charmosos (que recomendo visitar quando a noite cair) e o antigo portal da cidade, a Porta Nuova.

Bem próximo à Porta Nuova, está a rua Sentierone, onde os locais gostam de passear nos finais de semana. De domingo há feiras de flores nas ruas. É bem agradável andar aí.

Uma excelente opção de entretenimento noturno seria assistir a uma ópera ou ballet no Teatro Gaetano Donizetti, o ambiente é lindíssimo e com uma apresentação artística, certamente emocionaria.

Do mais, confira o site visitbergamo. Nele você poderá obter mais informações sobre os eventos da cidade, os principais pontos turísticos e as atrações nos arredores. A equipe é muito atenciosa! Eles me ajudaram a construir este roteiro e me esclareceram algumas dúvidas sobre a cidade.

*Para hospedagem recomendo o Hotel Cappello D´Oro. A localização dele é realmente diferenciada.

😉

Comente! via Facebook