Categorias: Destinos Europa Genebra Suiça

Genebra: alpes charmosos e o famoso chocolate suíço

Antes da minha viagem para Genebra, sabia que a cidade da parte francesa da Suíça tinha uma grande importância política, pela neutralidade do país em diferentes assuntos e por ser a sede de importantes organizações internacionais. Além disso, obtive a informação de amigos europeus que os preços eram altíssimos e que a qualidade de vida era ainda maior do que a de países populares da União Européia.

Na verdade, acho que todos esses fundamentos acima têm absoluto cabimento. Genebra é um município onde mais de 20 organizações internacionais, como a UNESCO, Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial do Comércio (OMC), por exemplo, fincaram as suas imponentes bandeiras. A cidade também foi escolhida por mais de 200 ONGS para estabelecer as suas sedes. Sendo assim, devido à importância das pessoas que circulam entre estas organizações, as causas defendidas em diferentes aspectos e as importantes decisões que são tomadas, Genebra tem a alcunha de “Cidade da Paz”.

Melhor do que sentir a paz reinar pelas ruas de Genebra é poder fazer um tour para entender melhor o trabalho de algumas dessas organizações. Escolhi, assim que tive a oportunidade, visitar a ONU e a OMC .

A Organização das Nações Unidas é um lugar curiosíssimo. Ela ocupa bem mais que um longo quarteirão e, como eu errei a entrada, dei a volta em todas as suas instalações para chegar ao lugar certo (risos). Na verdade, é errado dizer que a ONU está em Genebra, pois o seu território pertence aos 193 estados-membros. Por isso, é necessário mostrar o passaporte, passar num scanner e por autoridades exigentes para entrar em suas dependências.

O passeio pela ONU começou com um vídeo muito interessante sobre a construção do prédio. Ela nasceu logo depois que a Segunda Guerra Mundial terminou, com o objetivo de promover a paz e os direitos humanos, garantir a segurança mundial e auxiliar no progresso social e na proteção do meio ambiente. Todo o prédio, principalmente as salas onde ocorrem as discussões, são decoradas com base nesses pilares. Uma delas tem um carpete que lembra as areias do deserto. Já a outra tem o teto cheio de cores e texturas, que remete aos direitos humanos e assim por diante. Em todas as conversas tidas dentro destes salões, existem profissionais competentes que fazem a tradução simultânea para 5 idiomas, afim de garantir que todos estejam entendendo tudo que esta sendo conversado.

Teto da Sala dos Direitos Humanos.

Pelos corredores com um altíssimo pé direito, entre uma sala e outra, vi muitas obras, como quadros e esculturas de países que frequentemente mandam presentes para a ONU. Lindas artes retratam as belezas e as mais tristes dificuldades de muitas nações e propiciam aos visitantes uma profunda reflexão sobre a existência do planeta.

De frente para a ONU, esta cadeira foi um protesto contra as minas terrestres em guerras. Ficou aí para sempre.

Uma das partes que mais me emocionou foi a dos cartazes que crianças do mundo inteiro marcam as suas mãozinhas e pedem paz. “Chega de trabalho infantil, fome e guerras”, elas escrevem assim que alfabetizadas em diferentes línguas.

Outra Organização que tive o prazer de visitar foi a OMC. Diferentemente da ONU, seu objetivo é supervisionar e liberalizar o comércio internacional. Frequentemente, os países-membros se reúnem em uma sala e lá negociam e tomam grandes decisões de cunho comercial e econômico.

Saindo deste ambiente político, Genebra é uma cidade apaixonante e cheia de entretenimento. É limpa, organizada, segura, com uma população cheia de energia e esportista, até mesmo no auge do inverno. Corredores por todos os lados, ciclistas subindo e descendo as ladeiras com um invejável pique e até crianças com menos de 3 anos patinando no gelo super felizes.

É verdade afirmar que a vida em Genebra é mais agitada ao redor do Lago Léman. Em dias de verão, o jato d´água jorra o líquido a 140 metros de altura. Bains de Pâquis vira a praia dos genebrinos, e os cafés, banhos de piscina e de lago ganham a vez no município. Durante o inverno, o movimento obviamente diminui, porém, no entorno do lago ainda dá para admirar os lindíssimos alpes, passear pelas adoráveis lojas e restaurantes e também se perder pelas ruelas da Cidade Velha.

Para fazer compras, como já mencionei, é um pouco caro para sair com várias sacolas pelas Rue de Rive e Rue du Rhône. Contudo, entrar nelas para admirar o lado artesanal suíço e também o mais sofisticado das marcas internacionais é um programão para os mais consumistas.

Eu fiquei apaixonada pelos relógios tipo cuco de diferentes tamanhos e pelas lascas gigantes de saborosos chocolates, que por sinal têm em qualquer canto da cidade.

   

Nas andanças pela Cidade Velha, não recomendo um roteiro específico. Pela arquitetura dos prédios ter histórico desde o século XVI é tudo muito charmoso. Cada pequena rua tem algo de especial para observar. Nesta parte, a Catedral de Genebra acaba tendo um destaque maior nos mapas turísticos, mas não descarto a Prefeitura também.

Quanto a temperatura, eu recomendo Genebra em qualquer estação do ano, sinceramente. Na minha opinião, o frio já deixou de ser motivo para impedir viagens. Te encorajo a ir no inverno, porque este trimestre do ano propicia outras paisagens, descobertas e traz opções de entretenimento interessantes, como boas estações de sky, passeios animados para os alpes e patinação no gelo. Aliás, visite Chamonix! Pertinho de da cidade.

5 Dicas Importantes

1- Escolha um hotel que ofereça café da manhã e passe gratuito para os transportes públicos da cidade. Além das comodidades, você irá economizar também, porque fazer qualquer refeição e pegar ônibus é realmente caro em Genebra.

2- Experimente o fondue suíço! É divino!

3- Apesar de toda a segurança, fique de olho nos seus pertences, pois oportunistas existem em todos os lugares.

4- Conte com o trem caso queira visitar as outras cidades da Suíça. Ele é super eficiente e é tudo muito perto no país. Apenas saiba dos horários com antecedência, pois alguns destinos podem não ter transporte diário.

5- O Centro turístico de Genebra é excelente! Se precisar de ajuda, passe lá, pois os funcionários são super atenciosos.

😉

Comente! via Facebook